Arquivo de 11/jul/2009

Colite espástica ou mucosa – O que é?

Categoria(s): Distúrbios digestivos


Doença na qual o intestino grosso se contrai de modo violento e espasmódico ao menor estímulo. Em geral, o intestino atingido por esse mal secreta grande quantidade de muco, que aparece nas fezes.

Está doença atualmente é conhecida como síndrome do intestino irritável – SII.

Tags: ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Síndrome do intestino irritável (SII) – O que é?

Categoria(s): Dicionário, Distúrbios digestivos, Distúrbios funcionais


Dicionário

Aproximadamente 50% dos pacientes procuram o médico com queixas digestivas sofrem de problemas funcionais, ou seja, não apresentam lesão orgânica no aparelho digestivo demonstrável pelos métodos propedêuticos atuais. Entre as doenças funcionais a síndrome do intestino irritável (SII) é a mais freqüente. Até recentemente conhecida como síndrome do cólon irritável, a SII mereceu sua nova denominação em razão da frequente concomitância de alterações sensoriais e motoras observadas no intestino delgado.

Trata-se de é uma desordem relacionada ao aparelho digestivo, caracterizada por dor abdominal associada a alterações do hábito intestinal, frequentemente acompanhadas de distensão abdominal e muco nas fezes. Embora a terminologia SII  sugira alterações limitadas aos intestinos, todo o trato digestivo e inclusive órgãos extra-intestinais podem ser afetados. Foi constatado que quatro sintomas foram significativamente mais frequentes: alívio da dor pela defecação, fezes soltas associadas ao início da dor e distensão abdominal. Outros dois sintomas são: muco nas fezes e sensação de evacuação incompleta (tenesmo).

Tags: , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Síndrome do intestino irritável (SII) – Quais os sintomas?

Categoria(s): Distúrbios digestivos, Distúrbios funcionais


Sintomatologia

Na SII, as manifestações sintomáticas costumam ser variadas. Predominam as queixas relativas ao abdome e intestinos, provável sítio de origem dos problemas. No entanto, muitos outros sintomas, digestivos ou não, podem estar associados. Entre os primeiros, as queixas dispépticas se destacam, podendo estar presentes em mais de 30% dos casos. Intolerância inespecífica a diferentes alimentos é outro achado repetitivo.

Em decorrência da variabilidade na apresentação dos sintomas da SII, em 1989, um grupo de consenso internacional de especialistas em gastroenterologia, reunidos em Roma, desenvolveram um sistema de classificação formal para as doenças funcionais do trato digetório. Esta classificação foi denominada de critérios Roma I. Em reunião rescente foram definidos novos critérios para definir e diagnosticar a SII (critérios Roma II). Os critérios diagnóstico de Roma II especificam que durante o último ano o paciente deveria ter apresentado mais de 12 semanas de transtornos ou dor abdominais, acom´panhados por pelo menos três das características abaixo.

1. Dor ou transtornos aliviados após a defecação.

2. O início da dor ou dos transtornos está associado com modificação da frequencia da evacuações

3. O início da dor ou dos transtornos está associado com modificação do aspecto ou da forma das fezes

Considera-se anormalidade:

1. Frequência de evacuações mais de 3 vezes ao dia (diarréia) ou menos de 3 vezes por semana (obstipação)

2. Fezes compatadas/duras ou fezes soltas/aquosas

3. Esforços defecatórios, esforço intenso ou sensação de uma evacuação incompleta

4. Eliminação de muco

5. Gases abdominais (meteorismo) em grande quantidade ou sensação de distensão abdominal

Queixas extra-intestinais também são comuns e englobam distúrbios sexuais, disfunções urinárias, cefaléia, alterações do apetite, fibromialgia, lombalgia e alterações do sono. Ademais, a maioria destes pacientes manifesta evidentes distúrbios na área psicológica, tais como ansiedade, depressão, distúrbios somatoformes etc. Em decorrência desta última, resulta a amplificação do sentido negativo de situações desfavoráveis, como certos eventos da vida, do tipo separação, morte etc.; redução do limiar de sensibilidade a estímulos mecânicos, e percepção anormal de fatos normais, como as contrações intestinais do período inter-refeições.

Os pacientes que apresentam mais de três evacuações por semana, fezes soltas (moles), ou aquaosas, ou esforço intenso, podem ser classificados como portadores de SII tipo diarréico. Os que tem menos de três evacuações por semana, fezes duras ou compactadas, ou esforço durante a evacuação, apresentam o chamado SII tipo constipação. Estabelecer o tipo de hábito intestinal predominante ajuda a selecionar o tratamento mais adequado para o caso.

Tags: , , , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 41234