Arquivo de 13/ago/2009

Testosterona – O que é?

Categoria(s): Dicionário, Distúrbios endócrinos, Sexualidade e DST


Fisiologia

Os hormônios masculinos são produzidos, na sua maior parte, nos testículos, pelas células de Leydig e pequena porção nas glândulas supra-renais. A regulação da produção desses hormônios depende da integridade do eixo hipotálamo-hipófise-gonadal, um sistema que integra o hipotálamo no cérebro, a glândula hipófise, também no cérebro e as gônadas.

A testosterona facilita e promove o crescimento e a virilização do homem, estando associada às mudanças na composição corporal, como a distribuição de pêlos na face, tórax e na região púbica, aumento da massa muscular e funções sexuais. Existem grandes variações individuais na produção hormonal e variações com a idade. No sangue, a testosterona está circulando geralmente ligada às proteínas (globulinas). Para verificar a chegada da andropausa, podem ser feitos testes de sangue, que medem o índice de testosterona, espermograma, que quantifica a produção de espermatozóides, além de exame urológico (mais conhecido como toque), densitometria óssea, para verificar osteoporose, e ecografia da próstata e abdome.

A produção de testosterona pode ser alterada por várias condições clínicas, tais como uso de alguns medicamentos, obesidade, doenças hepáticas, doenças renais e doenças de algumas glândulas, principalmente da tireóide, diabetes, por doenças coronarianas, depressão e até pelo tabagismo. Além disso, existe também a variação normal que ocorre durante o dia, sendo à noite os menores níveis.

Tags: , , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Testosterona – Quais os benefícios da reposição?

Categoria(s): Distúrbios endócrinos, Distúrbios urogenitais, Sexualidade e DST


Tratamento

Clinicamente o tratamento deve objetivar:
– melhorar a densidade óssea, o que pode ser acompanhado através de densitometria óssea.
– aumentar a massa muscular com conseqüente aumento de sua força e tônus, graças a seu efeito anabólico protéico.
– melhora da libido e da ereção (neste último caso a reposição de testosterona aumenta o fluxo sanguíneo arterial peniano).
– estabilização do humor e das funções cognitivas.

Referência:

BORGES D. R.,ROTHSCHILD H.A.,Atualização Terapêutica 2005:manual prático de diagnóstico e tratamento. 22 ed. São Paulo:Ed Artes Médicas Ltda, 2005.p.443-446.

Tags: , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Testosterona – O idoso deve receber?

Categoria(s): Câncer, Distúrbios endócrinos, Sexualidade e DST


Controvérsias

Nas últimas décadas têm se observado que nos idosos ocorre uma diminuição do hormônio masculino, afetando a virilidade, a iniciativa, a libido e a massa muscular. Com a reposição destes hormônios (testosterona), o idoso tem se beneficiado, melhorando a sua qualidade de vida, ficando mais alegre, animado, disposto e com recuperação da sua massa muscular. A ressalva é que se deve pesquisar as condições da próstata, sendo contra-indicado nos casos de câncer, tanto na próstata com em outro órgão.

A QUEM CONSULTA – Antes de iniciar-se a reposição da testosterona, o idoso deve consultar um urologista para avaliação da próstata e acompanhamento do tratamento, que pode ser feito concomitantemente com médico geriatra.

Tags: , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 212