Asma – Como acontece?

Categoria(s): Distúrbios Inflamatórios, Distúrbios urogenitais

Quando uma pessoa sensível a um determinado alergeno, entra em contato com este produto, ocorre uma complexa relação entre as células inflamatórias (neutrófilos, eosinófilos, mastócitos, linfócitos Th2), mediadores químicos e células estruturais das vias aéreas, resultando em diminuição da luz das estruturas que conduzem o ar aos alvéolos pulmonares (traquéia, brônquios, bronquíolos), causando uma dificuldade de entrar e expelir o ar que entra nos pulmões.

A resposta inflamatória dos brônquios tem características especiais, que incluem infiltração das células eosinofílicas, degranulação de mastócitos, lesão intersticial das paredes das vias aéreas e ativação de linfócitos Th2 que produzem citocinas, como as interleucinas IL-4, IL-5 e IL-13. Através de seus mediadores, as células causam lesões e alterações na integridade das células das paredes brônquicas, anormalidades no controle dos sistema nervoso autonômico e no tônus da via aérea, alterações na permebilidade vascular, hipersecreção de muco, mudanças na função mucociliar e aumento da reatividade do músculo liso da via aérea.

mastócitosdegranulação de mastócitos – Os pacientes com asma apresentam um grande aumento de mastócitos nos bronquios e bronquiolos pulmonares, sugerindo um papel de destaque na fisiopatogênese da doença. Diversos mecanísmos imunológicos e não imunológicos podem provomer a ativação dos mastócitos, causando a degranulação e o aumento da histamina sangüinea.

Este fenômeno bioquímico ocasiona vasodilatação local, com aumento da permeabilidade capilar e aparecimento inchaço e broncoespasmo. A figura ao lado mostra vários mastócitos com grânulos de histamina em seu interior.

Tags: , , ,

Envio por Email Envio por Email




Deixe seu comentário:

Veja mais: