Arquivo de 3/jul/2010

Tetralogia de Fallot – O que é?

Categoria(s): Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios genéticos, Tratamento cirúrgico


Cardiopatia congênita

TETRALOGIA DE FALLOT

A “Tetralogia de Fallot” é a cardiopatia congênita mais freqüente e que a criança consegue evoluir razoavelmente até a idade escolar, a não ser que os defeitos sejam severos.

Anatomicamente a “Tetralogia de Fallot” apresenta quatro defeitos básicos: a) estenose da valva pulmonar; b) comunicação interventricular; c) dextroposição da aorta e d)hipertrofia do ventrículo direito (veja a imagem).

O grau de gravidade da estenose pulmonar e o tamanho da comunicação interventricular respondem pela intensidade da cianose e de hipertrofia do ventrículo direito. Estas crianças apresentam baixo desenvolvimento pondo-estatural, estão sujeitos a infecções com facilidades, tem grande concentração de hemoglobina com hematócrito alto e freqüentemente estão sujeitas à crise de cianose.

A ausculta revela um forte sopro sistólico em ejeção de máxima intensidade no segundo espaço intercostal junto à borda esquerda do esterno. Em muitos casos a segunda bulha e única e resulta da presença somente do componente aórtico, pois como a valva pulmonar e pequena e estenótica seu componente quase não existe para compor a segunda bulha.

EXAMES CARDIOLOGICOS – Eletrocardiográficamente observa-se uma onda “R” alta em V1 e onda “S” em V6 resultante de grande hipertrofia do ventrículo direito.

RADIOGRAFIA DO TORAX – Radiológicamente a configuração em projeção antero-posterior do tórax e típica com hipofluxo pulmonar, pedículo cardíaco estreito pela quase ausência do tronco pulmonar e aorta dextroposta. A hipertrofia do ventrículo direito eleva a ponta do coração dando ao conjunto o aspecto de coração em tamanco holandês (coeur en sabot). Não sendo evidente um cardiomegalia.

ECODOPPLERCARDIOGRAMA – O exame ecocardiográfico nos mostra com detalhes as estruturas cardíacas afetadas e a dinâmica envolvida, muitas vezes dispensando-se o estudo hemodinâmico para as crianças pequenas que necessitam de conduta clínica até ganho de peso e posterior tratamento cirúrgico corretivo. Os sinais típicos de tetralogia de Fallot no ecocardiograma são: comunicação interventricular peri membranosa com extensão para via de saída, com desvio anterior do septo interventricular. A aorta esta situada, de maneira a ficar menos de 50% de seu diâmetro voltado para o VD. Existe estenose infundibular do VD e hipoplasia da valva pulmonar e seus ramos.

TRATAMENTO CIRÚRGICO – Nos casos em que a necessidade de aumento do fluxo sangüíneo para o pulmão opta-se, paliativamente, pela cirurgia de Blalock-Taussig até melhor tempo para a cirurgia corretiva.

Referência:

TETRALOGIA DE FALLOT
Azevedo AC – Estudo clínico da tetralogia de Fallot. Tese FMUFRJ, Rio de Janeiro, 1951.
Hilário J – Tratamento cirúrgico da tetralogia de Fallot. Tese FMUFRJ, Rio de Janeiro, 1950.

Tags: , , ,


Veja Também: