Arquivo de 14/ago/2010

Íon Ferro – Intoxicação

Categoria(s): Intoxicações, Terapia antioxidante


Terapia antioxidante

Não há muitos relatos associados à intoxicação por uso contínuo do íon ferro. O íon ferro não deve ser associado ao uso de vitamina E, pois este íon quando está no composto cloreto de ferro (ferro inorgânico) inativa a vitamina E. Pacientes portadores de hemocromatose já possuem quantidade superior de ferro em suas células em comparação a um indivíduo sadio, portanto devem fazer uso de ferro somente com acompanhamento médico. Os portadores de hemocromatose estão sujeitos a danos no fígado, pele, pâncreas e coração, caso utilizem o íon ferro sem orientação de seu clínico. O íon ferro pode levar a formação de radicais livres.

Tags: ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Fibrinogênio – O que é?

Categoria(s): Dicionário, Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios hematológicos, Distúrbios metabólicos, Exames laboratoriais


Dicionário

O fibrinogênio é uma glicoproteína com alto peso molecular, produzida principalmente pelo fígado, sendo componente fundamental da cascata de coagulação. Sua concentração plasmática varia entre 1,5 g/dl e 4,0 g/dl.Os níveis elevados de fibrinogênio estão associados com maior incidência de eventos coronarianos e mortalidade. Outras condições associam-se à elevação dos níveis plasmáticos de fibrinogênio, como: tabagismo, sedentarismo, hipertensão arterial, diabetes mellitus, obesidade, hiperlipemia e infecções. A dieta não é capaz de influir na determinação dos níveis de fibrinogênio.

Cuidados – Medidas que alteram o estilo de vida dos indivíduos, como controle do peso, abandono do hábito de fumar e prática de atividade física são capazes de reduzir os níveis de fibrinogênio. Assim como a dieta rica em ácidos graxos ômega-3.

Tags: , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Íon Ferro e Oxidação tecidual – Qual o problema?

Categoria(s): Intoxicações, Terapia antioxidante


Terapia antioxidante

O íon ferro seja na forma de Ferro (II) ou Ferro (III) na presença de oxigênio, possui habilidade de formar espécies altamente reativas, agindo como um catalisador para a reação de oxi-redução entre o oxigênio e as moléculas biológicas. Dentre os danos causados por esta reação, há a lesão de tecidos no organismo, peroxidação lipídica e alterações no código genético ocasionados por lesões ao DNA provocados por estas espécies reativas de oxigênio.

Tags: ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email