Arquivo de 26/set/2010

Câncer bucal – O que é?

Categoria(s): Câncer


Dicionário

Raramente o câncer bucal é identificado no seu início, entretanto quando é identificado de 60 a 80% já esta na sua fase avançada, o que reduz a chance de sobrevida. O carcinoma de células escamosas acomete 90% dos casos, onde a maior incidência é em homens acima dos 65 anos. No Brasil, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o câncer bucal ocorre com maior freqüência nos lábios (figura) , provavelmente devido ao excesso de luz solar.

bucalNo exame bucal, que deve ser feito por todos os profissionais da área da saúde, é muito importante observar os sete sinais de alerta: edema, elevações ou crescimentos, manchas brancas, ulcerações, uma dor de garganta que não melhora, dormência, dor ou sangramento persistentes.

O diagnóstico das lesões pré-cancerígenas é muito importante. Neville et al. definem lesão pré-cancerígena como sendo um tecido benigno, porém morfologicamente alterado e que possui maior risco que o normal para a transformação maligna. As principais lesões encontradas são: leucoplasia; eritroplasia; líquen plano; quilite actínica; nevo pigmentado e xeroderma pigmentoso.

Grupo de risco:
• -Idade superior a 40 anos
• -Tabagista
• -Etilista
• -Desnutrição
• -Exposição crônica a Luz solar
• -Pacientes imunossuprimidos
• -Pacientes em uso de prótese mal adaptadas.

Medidas preventivas do Câncer Bucal:

1 – evitar fumo e álcool;
2 – evitar exposição continuada aos raios solares;
3 – evitar traumas crônicos na mucosa bucal, tais como: prótese mal adaptadas, coroas dentais fraturadas, raízes residuais, etc;
4 – manter higienização adequada, escovando os dentes no mínimo 4 vezes ao dia, principalmente após a ingestão de qualquer alimento, fazer uso do fio dental e se auto-examinar continuadamente conforme descrição acima citada;
5 – fazer alimentação balanceada e completa evitando fazer uso do açucar em excesso (prevenção da cárie) e principalmente fora das refeições;

6 – o mais importante, consultar um dentista de confiança regularmente, não somente quando tem algum problema odontológico.

Referências:

Mello,HSA – Câncer Bucal; Odontogeriatria, Cap12, pág:127 a 133.

www.odontologia.online.com

Câncer bucal [on line]

Câncer bucal – Lesões suspeitas [on line]

Câncer bucal – prevenção [on line]

Tags:


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Alecrim – O que é?

Categoria(s): Distúrbios endócrinos, Distúrbios hematológicos, Medicina das plantas


Fitoterápicos

Rosmarinus oficinalis

O alecrin tem o aspecto de um pequeno pinheiro; suas folhas verde-sombra são estreitas e em forma de agulha, sua forma é baixa e reforçada, cheia de vigor. Atinge quase a altura de um homem. No começo da primavera ele se cobre de um véu de flores delicadas, agrupadas em falsa espiga na ponta dos brotos. Durante o verão mediterrâneo, esse verão longo e seco, a planta se acha consolidada e quase rígida. O perfume que exala é ígneo, mas severo, fortificante da consciência e reconfortante. Poder-se-ia dizer que este perfume é queimante e salino, mas ao mesmo tempo, algo que lembra a solenidade dos incensos.

O Alecrim habita as costas montanhosas da Espanha, da Itália, da França mediterrânea, da Iuguslávia, da Grécia, da Ásia Menor e ilhas mediterrâneas. Sua paisagem preferida é a mata do mediterrâneo – um emaranhado espinhoso quase impenetrável, principalmente quando está próximo do mar. É também conhecido pelo nome de “Rosmarinus” que lembra a denominação latina “ros marinus” – “rosa do mar”. Para os romanos esta planta simbolizava o amor e a morte e por isto era plantada próximo à soleira das portas das casas. A igreja católica também o usava nos seus rituais, queimando-o como incenso.

O Alecrim é cortado a cada três anos para a obtenção da essência (óleo etérico) que é destilada. Sua qualidade difere segundo as estações e segundo o ano. O clima e o solo determinam a qualidade de sua essência. Sua flor produz um mel excelente.


Referência:

Herbario [on line]

Tags: ,


Veja Também:

Comments (2)     Envio por Email Envio por Email


Alecrim – Qual a indicação terapêutica?

Categoria(s): Distúrbios endócrinos, Distúrbios hematológicos, Distúrbios urogenitais


Fitoterápicos

Rosmarinus oficinalis

O Alecrim é cortado a cada três anos para a obtenção da essência (óleo etérico) que é destilada. Sua qualidade difere segundo as estações e segundo o ano. O clima e o solo determinam a qualidade de sua essência. Sua flor produz um mel excelente. Durante a antiguidade, o Alecrim era muito mais utilizado no serviço religioso do que na terapia, como ornamento ritual das divindades e dos seres humanos. A Idade Média descobriu suas virtudes curativas. Ao mesmo tempo, numerosos usos populares o colocaram em destaque: batismos, casamentos, enterros. Atravessou os Alpes e se tornou uma planta de ornamento nos parques e jardins. A alecrin tem sido usado, tanto para decorar as casas, como para temperar os alimentos.

Medicina Galênica – A análise química revela que o Alecrim possui muitos óleos etéricos, substâncias amargas, taninos, etc. O Alecrim ativa os processos sanguíneos. A anemia, as menstruações insuficientes e as perturbações da irrigação sanguínea são favoravelmente influenciadas. Um sistema nervoso fortemente desgastado pelo trabalho intelectual se torna melhor graças ao impulso dos processos construtivos do Alecrim. Mas o Alecrim é sobretudo um remédio para combater o Diabetes mellitus.

Referência:

Herbario [on line]

Tags: , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 41234