Arquivo de 18/out/2010

Tromboflebite – O que é?

Categoria(s): Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios hematológicos, Distúrbios Iatrogênicos


Dicionário

Tromboflebite

A tromboflebite é caracterizada por um quadro de dor e hiperemia localizada, na trajetória da veia acometida por irritação contínua do endotélio seguida de uma colonização bacteriana. A lesão apresenta-se hiperemiada, edemaciada e com a presença de um cordão palpável (foto). A veia geralmente evolui para um cordão endurecido e indolor, que com o passar do tempo desaparece totalmente. Esta evolução não dura mais que um mês, e dificilmente evolui para embolia pulmonar.

A causa mais comum é a iatrogênica, provocada pelas agressões químicas (medicamentos intravenosos em soluções concentradas) e mecânicas (punções venosas e cateterizações). As tromboflebites são bastante comuns nos pacientes que ficam muito tempo internado, em uso de soluções (soros) intravenosas e antibióticos. Geralmente, as flebites ocorrem nos membros superiores, por ser este os locais de maior manipulação. Para prevenir a ocorrência de tromboflebite a enfermagem deve procurar fazer rodízio de aplicação do soro, usar uma veia no máximo por 3 dias, deixando a veia em “repouso”.

Pode ocorrer tromboflebite por condições que levam a alterações secundárias da coagulação, como neoplasia, gravidez, uso de cotraceptivos, sepcemias, varizes e imobilização pós-operatória. Menos comum são as de origem endoteliais como doenças de Behçet, Mondor e Buerger. Hematológicos como deficiência de antitrombina III, co-fator II da heparina, proteinas C e S, fator XII, defeitos no sistema fibrinolítico, alterações do plasminogênio, desfibrinogenemia, anticoagulante lúpico e sindrome do anticorpo anticardiolipina.

Referências:

Lastória, S. Tromboflebite superficial. In: Maffei FHA, Lastória S, Yoshida WB, Rollo HA. Doenças vasculares periféricas. 2a edição. Rio de janeiro: MEDSI; 1995. p. 831-840.

Pitta GBB. Urgências vasculares. In: Batista Neto J. Cirurgia de urgência: condutas. Rio de Janeiro:Revinter; 1999. p. 513-519.

Tags: , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Tromboflebite – Como diagnosticar?

Categoria(s): Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios hematológicos, Distúrbios Iatrogênicos, Distúrbios Inflamatórios, Infectologia


O exame clínico é o principal elemento diagnóstico das tromboflebites superficiais.
Pode-se lançar mão de recursos por imagem como o ultrasson com doppler, principalmente nas tromboflebites extensas de membro inferior que podem evoluir com uma trombose venosa profunda.

Tags: ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Tromboflebite – Como tratar?

Categoria(s): Cuidados preventivos, Distúrbios hematológicos, Distúrbios Iatrogênicos


O tratamento da tromboflebite consiste em afastar a causa base da doença e na adoção de certas condutas, como: compressão elásticas do membro, se possível; estimular a deambulação; promover a elevação do membro; instituir o uso de calor local e antiinflamatório; o uso de antibiótico será destinados aos casos de infecção ativa, como nas flebites sépticas*; anticoagulantes será reservados para casos específicos, como trombose extensas e ou tromboflebites rebeldes que estejam progredindo e ameaçando o sistema venoso profundo.

Flebite séptica – Inflamação bacteriana da veia (Flebus=veia)

A QUEM CONSULTAR – As tromboflebites são tratadas posr médicos clínicos gerais, geriatras e em especial por angiologista, especialista no sistema circulatório (artérias, veias e linfáticos)

Tags: ,


Veja Também:

Comments (5)     Envio por Email Envio por Email