Obesidade – O ato de comer a noite

Categoria(s): Distúrbios endócrinos, Distúrbios metabólicos, Programas de saúde

Obesidade


Síndrome do Comer Noturno

obesi

Stunkard, na década de 1950 descreveu um transtorno de comportamento caracterizado por três componentes principais: pouco apetite de manhã, comer excessivamente à tardinha ou à noite e insônia. Stunkard observou também que a Síndrome do Comer Noturno (SCN) tendia a ser desencadeada pelo estresse e que seus sintomas diminuíam quando o estresse era aliviado.

Em estudos posteriores e muito detalhados (Birketvedt et al, 1999) mostraram que a SCN aparece em 10% das pessoas que se tratam de obesidade e em 27% daquelas submetidas à cirurgia para obesidade.

A SCN se manifesta por comer excessivamente à tardinha ou à noite, mas não compulsivamente, apenas por aumento da vontade de comer. Um dado interessante na síndrome  é que, em média, esses pacientes consumem 56% de toda sua ingestão calórica diária no período noturno, entre as 22 e 6 horas, ao passo que a população geral consume aproximadamente apenas 15% da ingestão calórica diária nesse período.

Uma das características da síndrome  é sua associação com a obesidade, depressão, baixa auto-estima e diminuição da fome diurna. Os pacientes obesos com esta síndrome têm menos êxito nos programas de redução de peso do que pacientes obesos sem a síndrome.

Tratamento

A etiologia  ainda não foi esclarecida, mas se supõe que as crises de compulsão alimentar ocorram por surtos, o que as colocaria próximo das crises epilépticas. Assim, o uso do anticonvulsivante topiramato tem sido o medicamento de escolha para o controle das crises. O uso de antidepressivo pode ser usado concomitante, pois muitos pacientes, também apresentaram quadro de depressão no passado.

Tags: ,

Envio por Email Envio por Email




Deixe seu comentário:

Veja mais: