Arquivo de Distúrbios respiratórios

Cor pulmonale – Quais os sintomas?

Categoria(s): Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios respiratórios


O paciente apresentando poliglobulia* (aumento do número das hemáceas) , hipocratismo digital (dedos semelhantes a baqueta de tambor, cianose tipo L (Lung), hipoxemia, hipercapnia e ocasionalmente respiração de Cheyne-Stokes. Estes pacientes são pletóricos, cianóticos e sonolentos, podendo em alguns períodos apresentar hipertonia, agressividade, delirum pelo quadro isquêmico cerebral difuso.

* poliglobulia – fisiologicamente ocorre um aumento da produção de glóbulos vermelhos sempre que a concentração do oxgênio cai, é o que ocorre com as pessoas que vivem em grandes altitudes. Assim, nos casos de doenças que provoquem uma baixa oxigenação pode aparecer aumento do número de globulos vermelhos circulantes.

Tags: , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Cor pulmonale – Como tratar?

Categoria(s): Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios respiratórios


Tratamento

Tratamento – O tratamento é clínico e visa melhorar as condições pulmonares, prevenir as infeções e diminuir a viscosidade sangüínea com sangrias terapêuticas, ou seja retira de 300 ml de sangue e recolocação de plasma.

Os diuréticos não são formalmente contra-indicados nos casos de cor pulmonale edemaciado, porém seu uso deve ser cauteloso evitando-se a desidratação e hiperviscosidade com conseqüente formação de trombos (trombogênese) especialmente nas grandes veias.

Tags: , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Pneumonite Intersticial Aguda (PIA) – O que é?

Categoria(s): Distúrbios imunológicos, Distúrbios Inflamatórios, Distúrbios respiratórios, Emergências


Dicionário

pneumonite-intersticial

A pneumonite interstical aguda (PIA) que ocorre mais freqüentemente entre 20 e 40 anos, sem preferência por sexo. A PIA é uma doença febril com sintomas semelhantes a gripe com surgimento tardio da dispnéia. Estertores criptantes são comuns e a radiografia de tórax mostra lesões infiltrativas bilateralmente. A biópsia revela lesão alveolar difusa, com formação de membranas hialinas.

A PIA tem um prognóstico ruim as taxas de sobrevida variam entre 15% e 40%. A terapia com glicocorticóide, comumente utilizada, é pouco efetica

Diagnóstico diferencial

Uma variante rara de bronquiolite obliterante com pneumonia organizante (BOOP), chamada de BOOP fulminante ou BOOP rapidamente progressiva, tem características clínicas semelhantes, porém com quadro histopatológico distinto. A BOOP fulminante responde ao glicocorticóide, mas tem prognóstico pior que a BOOP idiopática.

Referências:

Cohen AJ King TE Jr Downey GP – Rapidly progressive bronchiolitis obliterans with organizing pneumonia. Am J Respir Crit Care Med. 1994;149:1670-1675.

Olson J, Colby TV, Elliott CG – Hamman-Rich syndrome revisited. Mayo Clin Proc 1990;65:1538-1548

Tags:


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 5 of 27« First...34567...1020...Last »