Arquivo de Distúrbios osteoarticulares

Osteoporose – Como é feito o tratamento com medicamentos?

Categoria(s): Distúrbios metabólicos, Distúrbios osteoarticulares


Tratamento farmacológico

O tratamento da osteoporose deve ser entendido em medidas gerais e medidas farmacológicas. Entre as medidas gerais, tanto no tratamento como no prevenção, a dieta é muito importante e deve ser rica em cálcio (leite e derivados) e pobre em proteínas, sal e fosfatos. Deve-se entender que a ingestão em excesso de proteínas, sal e fosfatos promovem um aumento da excreção renal de cálcio agravando a osteoporose.

No tratamento farmacollógico da osteoporose utiliza-se remédios que inibem a reabsorção óssea, diminuindo, assim, a densidade e textura do ósseo e que estimulam a formação óssea, que ajudam a reconstruir o esqueleto. Além disso, suplementos de cálcio e vitamina D devem ser utilizados quando é necessário.

Medicamentos anti-reabsortivos – Os medicamentos que conduzem a uma diminuição da reabsorção óssea são os estrogênios, a calcitonina, os bisfosfatos, os diuréticos tiazídicos, a vitamina D e o cálcio.

Medicamentos formadores de osso – Os medicamentos que levam a estimulação da formação óssea são o fluoreto de sódio e o monofluorfostato, os esteróides amabolizantes, a testosterona e o hormônio paratireóideo.

Tags: , , , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Dor na região posterior do joelho – O que pode ser?

Categoria(s): Distúrbios Inflamatórios, Distúrbios osteoarticulares


Interpretação clínica

A dor e o aumento do volume na parte posterior do joelho pode ser causada pelo cisto de Baker. A causa exata do cisto de Baker ainda é desconhecida. Entretanto, o cisto pode ocorrer quando a produção de fluído está aumentada, como no caso de artrite ou após uma lesão. Os cistos poplíteos (cistos de Baker) se desenvolvem quando uma pressão intra-articular excessiva causa herniação posterior (veja figura), muitas vezes com formação de efeito de válvula de via única, no qual o líquido que é forçado para dentro do cisto não pode voltar ao espaço articular. Quando há aumento de volume da quantidade de líquido do cisto, a dor é mais freqüente e ocorre principalmente à extensão ou flexão do joelho.

Para se verificar a existência do cisto a região poplítea deve ser palpada com a pessoa de pé. Em alguns casos, o cisto podem romper com distensão da panturrilha, edema difuso, dor, sensação de água escorrendo na perna e, algumas vezes, eritema e edema do tornozelo, mimetizando um quadro de tromboflebite. Nesses casos, a artrografia pode fazer o diagnóstico diferencial ou, se necessário, doppler venoso.

cisto-de-baker

Diagnóstico diferencial – Nos casos de aumento doloroso da região posterior do joelho (região poplítea) devemos diferenciar tromboflebite. É importante o diagnóstico correto, pois o uso anticoagulante pode ocasionar sangramento excessivo no músculo da pantorrilha e tecidos adjacentes piorando os casos de cisto poplíteo. A ultrassonografia é a melhor e menos dispendiosa técnica para mostrar um cisto poplíteo e sua rutura ou extensão para a perna. Também pode identificar a trombose venosa profunda, por tanto esse exame dever feito antes de planejar qualquer tratamento. A associação entre tromboflebite e ruptura é extremamente rara.

Tratamento

O desconforto inicial, causado pelo cisto de Baker, pode ser tratado com uma faixa elástica. No tratamento pode-se utilizar medicamento antiinflamatório e drenagem do cisto. Algumas vezes o cisto desaparece sozinho. Se o cisto não causar incômodo, não há necessidade de tratamento. Raramente a sinovectomia (abertura cirúrgica da sinóvia) é necessária para cistos recorrentes. A excisão cirúrgica do cisto poplíteo geralmente não é indicada, por ter alta recorrência.

Referências:

Kraag G, Thevathasan EM, Gordon DA, Walker IH – The hemorrhagic crescent sign of acute synovial rupture [letter]. Ann Intern Med 1976;85:477-478.
Hench PK, Reid RT, Reames PM – Dissecting popliteal cyst simulating thrombophebitis. Ann Intern Med 1966;64:1259-1264.

Tags: , , ,


Veja Também:

Comments (3)     Envio por Email Envio por Email


Osteoporose – O que é?

Categoria(s): Dicionário, Distúrbios metabólicos, Distúrbios osteoarticulares


Dicionário

osteo


Colaboradora : Priscila Struckel Miguel

A osteoporose ocorre, geralmente, como resultado do processo anormal na remodelação óssea, por vários motivos, nas mulheres, destacando-se, a pós-menopausa (diminuição da função ovariana e deficiência do estrogênio) e o envelhecimento, quando aumenta o grau de destruição e diminui o de formação, ocasionando o adelgaçamento dos ossos, tornando-os quebradiços.

Esta doença atinge um quarto das mulheres do mundo e é responsável por 60 a 70% das fraturas de que são vítimas depois dos 60 anos. A osteoporose e as suas conseqüentes fraturas contribuem para a péssima qualidade de vida das idosas.

Remodelação óssea –  A remodelação óssea é um dos processos mais interessante no corpo humano , funciona como se tivessemos uma parede com uma parte envelhecida e sem reboco, neste ponto entra os pedreiros de remoção da área estragada (osteoclastos) e em seguida os pedreiros com material novo (osteoblastos) deixando a parede nova e integra. Os osteoclastos secretam ácido clorídrico e enzimas proteolíticas para remover o osso envelhecido e, os osteoblastos, então, fazem a deposição de nova matriz óssea. Todo esse processo dura de 5 a 10 dias. Uma vez formada a matriz estrutural básica, ocorre o processo de mineralização, que é mais lento.

Tags: , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 5 of 59« First...34567...102030...Last »