Arquivo de Distúrbios visuais

Por que o glaucoma causa cegueira?

Categoria(s): Distúrbios visuais


O glaucoma é uma doença silenciosa que provoca a perda gradativa da visão por lesão o nervo óptico, decorrente do aumento da pressão intra-ocular.

No olho, junto da pupila existe uma estrutura chamada de corpo ciliar que produz um líquido chamado humor aquoso, que circula e lubrifica a iris a córnea e o cristalino. Depois o humor aquoso é escoado para fora, em direção ao globo ocular por outra estrutra chamada malha trabecular. O problema, aumento da pressão intra-ocular, ocorre quando existe uma falha na drenagem do líquido e a pressão dentro do olho aumenta e comprime o nervo óptico.

Tags:


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Glaucoma – Quais os tipos?

Categoria(s): Distúrbios visuais


Quadro clínico

O glaucoma pode ser primário (sem causa definida) e secundário (causados por hipertensão arterial, diabetes mellitus, complicações de cirurgia ocular, medicamentos, etc), e que pode ser previnido.

O glaucoma primário pode ser de 2 tipos: 1) Crônico de ângulo aberto (ângulo largo) ou 2) Agudo ou crônico de fechamento angular (ângulo fechado, ângulo estreito, congestivo, crise de glaucoma agudo).

O glaucoma secundário resulta de doença ocular preexistente (uveíte, tumor intra-ocular ou catarata).
A terapia prolongada com corticosteróides, especialmente com preparações tópicas podem produzir aumento da pressão em pacientes “esteróides sensíveis”- pode estar presente após uma semana, mas usualmente ocorre entre 6 e 8 semanas após término da terapia.

O glaucoma absoluto é o último estágio de qualquer glaucoma não controlado. O olho fica cego por atrofia progressiva da cabeça do nervo óptico. Usualmente, a pupila é amplamente dilatada e fixa, a íris atrofiada e o disco óptico profundamente escavado. A dor não é muito proeminente, mas pode recorrer. O globo ocular subseqüentemente degenera-se.


Tags: , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Glaucomas – Quais os tipos e características?

Categoria(s): Distúrbios visuais


Formas clínicas

Crônico de ângulo aberto – Raros em crianças e adultos jovens. O ângulo iridocorneal (ângulo entre a iris e córnea) é amplamente aberto; pode mostrar depósitos pigmentares. Pupila não dilatada, íris pode ficar atrofiada na evolução. Cabeça do nervo óptico pode aparecer normal ou mostrar escavação. Causa defeito progressivo do campo visual se não tratado. Pressão intra-ocular ligeiramente ou acentuadamente elevada. Usualmente bilateral.

Sintomas: borramento da visão, mudança frequente de óculos. Cefaléia ocasional, frequentemente atribuída pelo paciente à tensão nervosa ou problemas de sinusite.

Crônico de ângulo fechado agudo – Este glaucoma é mais frequente após os 30 anos de idade). O ângulo iridocorneal: fechado durante a crise aguda; estreitos nos intervalos. Córnea: embaçada; frequente edema microcístico do epitélio. Pupila médio-dilatada, fixa. Íris parece turva. Cabeça do nervo óptico obscurecida durante a crise; pode ser normal. Pode mostrar escavação após diversos ataques. Pode desenvolver defeito de campo glaucomatoso típico. A pressão intra-ocular de 40-70 mmHg ou mesmo maior. Usualmente unilateral.

Sintomas: dores de cabeça e ocular intensas, borramento de visão, halos em volta da luz, mal-estar geral, náuseas, algumas vezes vômitos.

Crise glaucomatociclítica – este tipo de glaucoma ocorre do adulto jovem até os idosos. O ângulo iridoconeal é estreito ou amplamente aberto. Córnea pode ser clara com precipitados ceráticos; edema pode estar presente. Pupila pouco ou não dilatada. Cabeça do nervo óptico está, usualmente, sem escavação. Nenhuma perda de campo visual. Pressão intra-ocular menor ou igual a 50 mmHg. Usualmente unilateral.

Sintomas: visão borrada, halos em volta da luz, cefaléia. Náusea é rara.

Glaucoma de ângulo fechado crônico (crise glaucomatosa recorrente) – ocorre em qualquer idade. O ângulo iridoconeal é estreito; eclosível com sinéquia anterior periférica. Córnea usualmente embaçada durante a crise; clara entre as crises. Pupila dilatada durante a crise, normal entre as crises. Cabeça do nervo óptico é igual ao do glaucoma de ângulo fechado. Pressão intra-ocular maior ou igual 70 mmHg (durante a crise), entre as crises a pressão é normal. Usualmente unilateral.

Sintomas: cefaléia intensa durante as crises, visão borrada, halos em volta da luz. Náusea é rara.

Glaucoma secundário – Este tipo de glaucoma ocorre em qualquer idade, usualmente secundário à uveíte. O ângulo iridoconeal pode ser bloqueado por restos inflamatórios ou pigmentos. Córnea pode ser embaçada; edema macrocístico pode estar presente. Pupila pode ser estreita; íris pode parecer turva. Cabeça do nervo óptico: inicialmente normal; se a condição persistir, pode ser escavada ou atrófica. Pode se desenvolver defeito de campo glaucomatoso. Pode ser maior ou igual a 50mmHg. Usualmente unilateral.

Sintomas: visão borrada, halos em volta da luz, cefaléia. Náusea é rara.

Glaucoma induzido por corticosteróides – Este glaucoma ocorre em qualquer idade em pessoas suceptíveis após uso prolongado de corticosteróide tópico ou sistêmico. O ângulo iridoconeal é estreito. Córnea usualmente clara. Pupila reage; não contrai ou dilata. Inicialmente nenhuma escavação; se não tratado: pode desenvolver escavação. Desenvolve defeito de campo glaucomatoso. Pressão intra-ocular pode ser maior ou igual 50mmHg. Freqüentemente unilateral.

Sintomas: visão borrada e halos são raros no início, cefaléia pode estar presente.

Tags: , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 5 of 12« First...34567...10...Last »