Arquivo de Sexualidade e DST

Doença de Peyronie – Qual é o tratamento?

Categoria(s): Distúrbios Inflamatórios, Distúrbios urogenitais, Sexualidade e DST


Tratamento

O tratamento da DP é essencialmente cirúrgico (veja a figura), pela remoção da placa fibrosa ou plicatura da túnica, já que a maioria dos tratamentos clínicos não corrige a curvatura nem minimiza a placa. Tratamentos medicamentosos podem melhorar a dor e são mais eficazes nas fases iniciais da doença.
Peyronie

Tratamentos alternativos

Muitas vezes, apesar dos ótimos resultados das cirurgias para o tratamento da doença de Peyronie, o paciente se recusa a submeter-se a qualquer tipo de cirurgia. Até recentemente não havia nenhum tipo de tratamento alternativo com resultados comprovados e aceitáveis. Contudo, há cerca de dez anos a terapia extracorpórea por ondas de choque tem sido utilizada com sucesso. À semelhança da litotripsia extracorpórea por ondas de choque utilizada no tratamento dos cálculos renais, essa técnica tem demonstrado alto índice de sucesso no tratamento da doença de Peyronie.O método é ambulatorial, não invasivo, realizado sem qualquer tipo de anestesia ou analgesia, porém exige um litotripdor que permita a localização da placa de Peyronie por ultra-som.

Referências:

Usta MF at al. – Relationship between the severity of penile curvature and the presence of comorbities in men with Peyronie’s disease. J Urol 2004;171:775-779.
Gholani SS at al.- Peyronie’s disease: A review. J Urol 2003; 169:234-241.
Devine CJ JR et al.- Proposal: Trauma as the cause of the Peyronie’s lesion. J Urol 1997;157:285-290.
Sikka SC and Hellstrom WJ – Role of oxidative stress and antioxidants in Peyronie’s disease. Int J Impot Res 2002;14:353-360.

Tags:


Veja Também:

Comments (7)     Envio por Email Envio por Email


LINFOGRANULOMA VENÉREO – Quais os sintomas?

Categoria(s): Infecções bacterianas, Infectologia, Sexualidade e DST


Sintomatologia

Como sintomas observa-se o aparecimento de lesões sólidas e elevadas, vesícula, pequenos tumores cutâneos que contem pus ou erosão fugaz e indolor, podendo ocorrer febre e mal-estar.

Referência:

http://www.cremerj.org.br/publicacoes/145.PDF

Tags: , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


LINFOGRANULOMA VENÉREO – Qual a transmissão?

Categoria(s): Infecções bacterianas, Infectologia, Sexualidade e DST


Page 3 of 4712345...102030...Last »