Arquivo de Terapias complementares

Suplemento Alimentar – BENEFÍCIOS DO COBRE

Categoria(s): Terapias complementares


Suplemento Alimentar – BENEFÍCIOS DO COBRE

O cobre tem inúmeras propriedades que o convertem em um componente essencial para o organismo.

Síntese de Hemoglobina – mobilização do ferro para síntese de hemoglobina.

Manutenção do Sistema Imunológico – estimula o sistema imunológico, aumentando as células de defesa, prevenindo o surgimento de doenças e garante uma melhor cicatrização.

Crescimento Ósseo – altamente essencial para formação do colágeno que garante uma maior resistência e firmeza dos ossos. A deficiência de cobre pode ocasionar fraturas ósseas e osteosporose.

Ativação das Funções Neuronais – conhecido como estimulante cerebral, tem um papel importante na proteção da bainha de mielina que envolve os nervos; formação de neurotransmissores, facilitando a comunicações entre as células nervosas e os impulsos nervosos.

Pigmentação de cabelo, pele e olhos – importante papel na síntese de melanina, responsável pela coloração à pele, cabelo e olhos.

Prevenção do envelhecimento – importante papel antioxidante, que funciona na presença da enzima antioxidante superóxido dismutase (SOD), protegendo as membranas celulares dos radicais livres. Formação do colágeno, maior constituinte proteico da pele e, elastina responsável pela elasticidade da pele.

Funcionamento da Tireóide – alimentos ricos em cobre são indicados no tratamento de hipotireoidismo.

Metabolismo do Colesterol – a deficiência de cobre altera o metabolismo do colesterol e da enzima colesterol-hidroxilase, aumentado o nível do colesterol sérico.

Reações Enzimáticas – auxilia várias enzimas a participarem das reações biológicas.

Tags: , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Suplemento Alimentar – O PAPEL DO COBRE

Categoria(s): Terapias complementares


Suplemento Alimentar – O PAPEL DO COBRE

O Cobre é um oligoelemento indispensável na nossa alimentação, por ser essencial para diversas funções orgânicas. É encontrado em alimentos como ervilhas secas, feijão, trigo integral, ameixas passas, pera, frutas secas, chocolate amargo, fígado de vitela, camarões-rosa e a maior parte dos frutos do mar.

As concentrações de cobre são maiores no fígado, cérebro, coração e rim. A absorção é máxima no intestino delgado. É excretado pela bile no trato intestinal e eliminado nas fezes.

O Cobre funciona como suplemento alimentar para diversos fatores como mobilização do ferro para síntese de hemoglobina; protege a bainha de mielina que envolve os nervos; auxiliar na produção de elastina, sustentando a elasticidade dos vasos sanguíneos e o tônus muscular; auxiliar na produção de melanina.

Possui ação antioxidante protegendo membranas celulares dos radicais livres, ação anti-inflamatória auxiliando na redução dos sintomas da artrite, auxilia a utilização do açúcar pelo organismo.

A deficiência do cobre associada à anemia, à neutropenia, anormalidades ósseas (incluindo fraturas) e, diminuir as defesas contra infecções.

O excesso de cobre no organismo ocasiona um transtorno hereditário chamado de Doença de Wilson e o envenenamento agudo de cobre é um acontecimento raro e só ocasionado pela ingestão acidental de soluções do cobre.

Tags: , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Suplemento energético – Creatina

Categoria(s): Alimentos funcionais, Cuidados alimentares, Programas de saúde, Terapias complementares


Suplemento energético – Creatina

Em indivíduos saudáveis, a suplementação de substâncias ergogênicas, como a creatina, é utilizada para aumentar a tolerância ao exercício, postergar a fadiga, ou estimular a síntese protéica muscular, visando assim à melhora do desempenho físico.

A creatina é um nutriente encontrado em alimentos, como peixes e carnes, podendo ser sintetizado endogenamente no fígado, rins e pâncreas a partir de outros aminoácidos (glicina, arginina e metionina). A maior parte da creatina está no músculo esquelético, sob a forma de fosfocreatina. A fosfocreatina é a primeira reserva energética degradada durante atividades de alta demanda energética, que variam de dez segundos a cerca de um minuto, porém seus estoques são ressintetizados em poucos minutos, o que a torna importante em exercícios intermitentes.

A suplementação de creatina tem sido muito utilizada por atletas. Contudo, evidências recentes indicam que a creatina pode ser útil no tratamento de doenças, principalmente naquelas que resultam em atrofia e fadiga muscular. Outro aspecto relevante, que justificaria o uso da creatina em pacientes com doenças pulmonares crônicas, é que esta população apresenta redistribuição dos tipos de fibras musculares, com predomínio de fibras do tipo II, que se caracterizam por contrações rápidas e apresentam maior capacidade anaeróbia que as do tipo I. Estudos apontam que as fibras do tipo II apresentam maior utilização de fosfocreatina durante o exercício. Desta forma, a suplementação de creatina pode ser uma alternativa válida, juntamente com o treinamento físico, no intuito de diminuir a intolerância ao exercício.

A creatina é um composto que contém carbono, hidrogênio e nitrogênio, sintetizado nos rins, pâncreas e fígado a partir de três aminoácidos: glicina, arginina e metionina. Sua biossíntese envolve a ação de duas enzimas, a arginina:glicina amidinotransferase (AGAT) e a guanidinoacetato metiltransferase (GAMT). Diariamente aproximadamente 2g de creatina são convertidas, através de reação não-enzimática, em creatinina que atravessa livremente a membrana celular sendo posteriormente excretada pelos rins. A creatinina pode ser dosada no sangue e serve como parâmetro de avaliação da função renal.

Referência:

Casey A, Greenhaff PL. Does dietary creatine supplementation play a role a role in skeletal muscle metabolism and performance? Am J Clin Nutr. 2000;72(2 Suppl):607S-17S.

Tags: , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 3212345...102030...Last »