Quilotórax – O que é?

Categoria(s): Dicionário, Distúrbios Inflamatórios, Distúrbios respiratórios


Dicionário

Quilotórax

O quilotórax é o acúmulo de líquido de aspecto leitoso, geralmente de origem linfática, na cavidade pleural. O quilo tem coloração branca leitosa por conter gorduras finamente emulsificada. Quando esse líquido é deixado parado, uma camada cremosa, gordurosa e sobrenadante se separa. O quilo verdadeiro deve ser diferenciado do líquido seroso turvo, que não contém gordura e não se separa em camadas. O quilotórax geralmente é causado por um trauma ou obstrução do ducto torácico, que causa rutura secundária dos principais ductos linfáticos.

Referências:

Sassoon CS, Light RW – Chylothorax and pseudochylothorax. Clin Chest med 6: 163-171, 1985.
MacFarlane JR, Holman CW – Chylothorax. Am Rev Respir Dis 105: 287-291,1972.

Tags: , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Quilotórax – Como se faz o diagnóstico?

Categoria(s): Distúrbios respiratórios


Diagnóstico

Como realizar o diagnóstico?

No exame físico o paciente, geralmente, se apresenta em bom estado geral, pressão arterial normal, sem sinais de desconforto pulmonar ou cardíaco.

A radiografia de tórax revela velamento moderado dos seios costo e cardiofrênicos esquerdo e área cardíaca normal, como na radiografia ao lado. O diagnóstico final virá de uma toracocentese (punção da cavidade pleural com uma agulha) e estudo bioquímico e citológico do líquido pleural.

O quilotórax pode ser bilateral, mas costuma ser prefentemente do lado esquerdo. O volume de líquido é variável mas raramente assume as proporções maciças do hidrotórax (plasma na cavidade). Em algumas ocasiões a obstrução do ducto torácido é decorrente de câncer na cavidade torácica. Os cânceres mais distantes podem metastatizar através dos vasos linfáticos e crescer dentro do ducto linfático direito ou ducto torácico para produzir a obstrução.

Referências:

Sassoon CS, Light RW – Chylothorax and pseudochylothorax. Clin Chest med 6: 163-171, 1985.
MacFarlane JR, Holman CW – Chylothorax. Am Rev Respir Dis 105: 287-291,1972.

Tags: , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Toracocentese – O que é?

Categoria(s): Distúrbios Inflamatórios, Distúrbios respiratórios, Infectologia


Dicionário

A toracocentese é uma punção da cavidade pleural com uma agulha, como no desenho, para estudo bioquímico e citológico do líquido pleural e, também para tratamento com esvasiamento do líquido que se acumula entre as pleuras e pode levar a um grande desconforto respiratório. O acúmulo de líquido de qualquer natureza na cavidade pleural recebe o nome de derrame pleural.

Tipos de líquido do derrame pleural

TransudatoO líquido tipo transudado é um líquido claro semelhante ao plasma humano (amarelo ouro) encontrado nas pleurites produzidas por inflamações decorrentes de doença reumática, do lúpus eritematoso sistematizado, da esclerodermia, da uremia e de cânceres primários ou metastáticos. Ocasionalmente isola-se os vírus Coxsackie A ou B, adenovirus ou vírus da influenza, vírus ECHO tipo B, da caxumba.Em muitos casos a etiologia permanecerá desconhecida. Morfologicamente, qualquer que seja o agente causal existe uma reação inflamatória das superfícies pleura visceral e pleura parietal, com escasso número de leucócitos polimorfonucleares, linfócitos e histiócitos.
Sendo um fenômeno puramente exsudativo, o derrame forma-se lentamente e, portanto, raramente produz um aumento de pressão suficiente para prejudicar a função pulmonar ou cardíaca. Não requer a pericárdiocenteses terapêutica, somente diagnóstica.

Serofibrinosa – Os derrames com características serofibrinosa (coloração amarelo palha, pela presença de grande quantidade de proteinas) são os mais freqüentes nas pleurites. As causas mais comuns são a uremia, a febre reumática, o infarto agudo do miocárdio, a irradiação do tórax, o Lúpus e o traumatismo. Como acontece em todos os exsudados, a fibrina pode ser digerida com resolução do exsudado, ou pode ser organizada. As vezes a organização e as aderências fibrosas levam a obliteração total do saco pleural .Esta fibrose produz aderências filamentosas delicadas, é chamada de pleurite adesiva. Raramente este tipo de pericardite deixa seqüelas graves.

Exsudativo - O derrame tipo exsudativo geralmente ocorre pela presença de bactérias, fungos ou parasitas no processo. Os microorganismos invadem a cavidade pleural por extensão direta de inflamações vizinhas causando o empiema pleural (presença de pus na cavidade pleural), pneumonia lobar, infeções mediastinais, cardiotomia. A evolução, geralmente, e para organização do processo, com conseqüente pleurite adesiva, em alguns casos requerendo a decorticação da pleura, que é feita em centro cirúrgico. Este derrame pleural ocorre com frequencia nas pneumonia lobares e recebe o nome de derrame metapneumônico.

Hemorrágico – A pleurite hemorrágica consiste em uma exsudação de sangue misturado com fibrina e pus. Geralmente resulta de processo tuberculoso, infarto pulmonar ou do comprometimento neoplásico do pleura, geralmente, relacionado com melanomas, linfomas, leucemias, carcinomas pulmonares ou mamários. Clinicamente, comporta-se como pleurite supurativa, evoluindo para a resolução ou a organização, com ou sem calcificação.

Quilotórax – Um tipo especial de derrame pleural é o quilotórax onde ocorre um acúmulo de líquido de aspecto leitoso, geralmente de origem linfática, na cavidade pleural. O quilo tem coloração branca leitosa por conter gorduras finamente emulsificada. Quando esse líquido é deixado parado, uma camada cremosa, gordurosa e sobrenadante se separa. O quilo verdadeiro deve ser diferenciado do líquido seroso turvo, que não contém gordura e não se separa em camadas. O quilotórax geralmente é causado por um trauma ou obstrução do ducto torácico, que causa rutura secundária dos principais ductos linfáticos.

Referências:

Sassoon CS, Light RW – Chylothorax and pseudochylothorax. Clin Chest med 6: 163-171, 1985.

MacFarlane JR, Holman CW – Chylothorax. Am Rev Respir Dis 105: 287-291,1972.

Tags: , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 212