Constipação intestinal – O que é?

Categoria(s): Cuidados alimentares, Distúrbios digestivos


Dicionário

A constipação intestinal, ou simplesmente a prisão de ventre atinge cerca de 20% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e entre os mais queixosos estão as mulheres e os idosos. Para o paciente, ela significa fezes excessivamente duras e pequenas, eliminadas com pouca freqüência e com excessivo esforço. O médico constata que o intestino está preso quando o paciente evacua até duas vezes por semana. Os principais fatores que causam a constipação são a falta de fibra na alimentação, pouca ingestão de água, sedentarismo, limitações nos movimentos dos corpo (seqüelas, reumatismo, velhice) e alimentos que causem o ressecamento das fezes, como o chocolate. Além disso, doenças endócrinas (hipotireoidismo), a diabetes e a insuficiência renal crônica podem causar a prisão de ventre.

O que causam a constipação são a falta de fibra na alimentação, pouca ingestão de água, sedentarismo, limitações nos movimentos dos corpo (seqüelas, reumatismo, velhice) e alimentos que causem o ressecamento das fezes, como o chocolate. Além disso, doenças endócrinas (hipotireoidismo), a diabetes e a insuficiência renal crônica podem causar a prisão de ventre. Certos medicamentos como antidepressivos, antitussígenos, analgésicos opiáceos (codeína, morfina), antiparkinsonianos, anti-hipertensivos, antiácidos contendo alumínio e preparados com cálcio também estão entre as causas.

Patologias neurológicas e musculares (lesões da medula espinhal, esclerose múltipla, Doença de Parkinson, falha no relaxamento perineal ao esforço de expulsão fecal), situações psiquiátricas (depressão, demência, traumas), anomalias estruturais do cólon (megacólon, fissura anal, complicações hemorroidárias, prolapso retal), estreitamento do intestino grosso (complicações cicatriciais de diverticulite, inflamações como efeito indesejável de radioterapia, tumores malignos do reto e porção final do intestino grosso) e transito colônico lento (idiopático – de causa não identificada – e falsa obstrução intestinal crônica) podem ser causas da constipação.

Tags: , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Megacólon – O que é?

Categoria(s): Dicionário, Distúrbios digestivos


Dicionário

Megacólon é uma grande dilatação de parte do intestino grosso. Esta dilatação pode ser congênita (doença de Hirschsprung) ou adquida. As causas de megacólon adquirido são diversas e estão associadas a doenças neurológicas diversas, patologias do músculo liso do intestino e distúrbios metabólicos. No Brasil, a principal causa é a forma intestinal da Doença de Chagas, onde o parasita (triatomídeo) destrói o sistema nervoso autonômico intestinal, responsável pelos movimentos peristálticos.

Sintoma – A constipação é o sintoma que leva a pessoa ao médico. O sintoma inicia-se na infância, mas é somente na idade adulta que a pessoa procura o médico. O paciente pode ficar por semanas sem evacuar, aumentando muito o volume abdominal.

Tratamento – O tratamento é cirúrgico com retirada da parte intestinal afetada.

Tags: , , ,


Veja Também:

Comments (1)     Envio por Email Envio por Email


Megacólon – Como se faz o diagnóstico?

Categoria(s): Distúrbios digestivos


Após a suspeita clínica o diagnóstico é feito realizando-se uma proctossigmoidoscopia e uma colonoscopia que evidenciará o sigmóide dilatado. Pode ser difícil realizar a endoscopia em todo cólon. Entretanto, não são vistas lesões obstrutivas (que geralmente ocorre nos cânceres). A impactação fecal prolonga poderá ocasionar úlceras na mucosa intestinal, com pequeno sangramento.

O uso de enemas (clister) pode aliviar os sintomas do paciente, porém o tratamento definitivo é cirúrgico. O uso repetido de enemas de alívio pode lesar a parede intestinal e até mesmo causar sua laceração (com a doença a parede do intestino fica muito fina) levando fezes para o interior da cavidade abdominal.

Tags: ,


Veja Também:

Comments (1)     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 212