MUSICOTERAPIA – Papel na Gravidez

Categoria(s): Cuidados preventivos, Distúrbios psiquiátricos, Programas de saúde


MUSICOTERAPIA – Efeito na Gravidez

Na musicoterapia através da mistura de sons, ritmos, harmonias e melodias e movimentos corporais, a gestante estabelece uma maior comunicação com seu bebê, fortalecendo os vínculos afetivos; além de proporcionar um parto mais tranquilo e saudável.
O bebê começa a ouvir algo por cerca da vigésima semana degestação, quando a estrutura neurofisiológica auditiva já esta madura para receber vibrações sonoras. A memória auditiva também começa a se estabelecer durante a gestação, isso é, o bebê, depois do nascimento reconhece os sons que ouviu regularmente durante a gestação, principalmente as vozes.
A música promove a inteligência musical e tem um efeito relaxante ao bebê, estimulando a criatividade, a concentração e a coordenação do bebê que está para nascer. Além disso, a musicoterapia traz benefícios para a gestante, reduzindo o nível de ansiedade, possibilitando um maior controle sobre a dor na hora do parto.

 

Tags: , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


MUSICOTERAPIA – Crianças com Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDA/H)

Categoria(s): Cuidados preventivos, Distúrbios neurológicos, Distúrbios psiquiátricos


MUSICOTERAPIA – Crianças com Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)

A musicoterapia é a mistura de sons, ritmos, harmonias e melodias no processo de aprendizado, comunicação, relacionamento e criatividade. Crianças que sofrem de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDA/H), cujo principal sintoma é a dificuldade de ficar quieto e focar a atenção, podem experimentar a musicoterapia, como coadjuvante no tratamento do transtorno.

A música fornece um ambiente motivador, estimula os hemisférios do cérebro a trabalharem juntos para processar os estímulos auditivos; a atividade mental envolvida facilita o funcionamento cognitivo, favorecendo crianças com dificuldades de aprendizagem.

A musicoterapia trabalha além da concentração, organização, tranquilidade e autoestima, o domínio da atividade motora através das atividades musicais, pois todas envolvem o corpo. Oferece maior autonomia e segurança, além de aumentar a qualidade de vida. Tornando assim uma criança mais saudável na escola, na família e no trabalho.

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade caracteriza-se por dificuldades na atenção e/ou inquietude e impulsividade. São crianças muitas vezes desorganizadas, impacientes, que não conseguem terminar uma atividade, se distraindo facilmente, apresentando um excesso de atividade motora e podendo apresentar comportamentos de isolamentos e dificuldades com a autoestima.

Referência:

Musicoterapia e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Blog do Espaço Dom Quixote [on line]

A Música Como Recurso para a Aprendizagem do Aluno Hiperativo [on line]

Tags: , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


MUSICOTERAPIA – No tratamento das doenças neurológicas

Categoria(s): Distúrbios neurológicos, Terapias complementares


MUSICOTERAPIA – No tratamento das doenças neurológicas

A musicoterapia estimula o sistema o sistema nervoso através do som, ritmo, harmonia e melodia facilitando o aprendizado, a comunicação e a memória, desenvolve potenciais individuais, a fim de melhorar e/ou restabelecer as funções do indivíduo.

A musicoterapia atua como função compensatória no processo de recuperação de pacientes com distúrbios da fala e visão, deficientes físicos, doenças mentais, lesões cerebrais, dependentes químicos (Nascimento, 2009).

Em pacientes portadores de Doença de Alzheimer, a musicoterapia melhora a perda de memória e retarda o aparecimento de complicações ligadas à doença. Em pacientes com Doença de Parkinson (figura acima), melhora os sintomas como a rigidez muscular e os tremores de repouso, previnindo as quedas.

O atendimento musicoterapêutico deve ser realizado por um profissional que tenha um curso de graduação ou uma especialização, a fim de criar um ambiente propício para desenvolver potenciais e restaurar as funções do indivíduo.

Referência:

França Passarini LBF – Musicoterapia como tratamento complementar no Mal de Alzheimer. III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia [on line]

Lodovice Neto P – A Musicoterapia como tratamento coadjuvante na Doença de Parkinson. Tese Mestrado em Gerontologia, PUC-SP, São Paulo. 2006. [on line]

Nascimento, M. – Musicoterapia e reabilitação do paciente neurológico, Editora Memnon, 2009.

Tags: , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 3123