Ácidos graxos ômega-3 (óleo de peixe) – Como age?

Categoria(s): Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios hematológicos, Distúrbios Inflamatórios


Alimentos funcionais

Ácidos graxos ômega-3 (ácido linolênico)

Tem sido descrito que várias das ações antiateroscleróticas destes ácidos graxos marinhos derivam de benefícios sobre a função endotelial. De fato, a suplementação com óleo de peixe aumenta a produção do óxido nítrico, melhorando a vasorreatividade dependente do endotélio. Esta melhora da função endotelial pode explicar a redução da pressão arterial observada em pacientes que consomem estes ácidos graxos poliinsaturados. A EPA e o DHA reduzem a formação de tromboxane A2, enzima relacionada com a formação do coágulo sanguíneo, como também de agentes inflamatórios, as prostaglandinas. Assim, estas substâncias podem exercer efeitos favoráveis na hemostasia e inflamação. Por atuar em canais iônicos, estes ácidos graxos também exercem algumas ações antiarrítmicas, influenciando canais de cálcio voltagem-dependentes, bem como canais de sódio, com redução de arritmias experimentalmente induzidas por vários estímulos.

Em conclusão: estes ácidos graxos ômega-3 exercem ações:
· Antitrombóticas: redução de agregabilidade plaquetária, viscosidade sangüínea e influenciando a expressão de outros fatores da hemostasia;
· Antiaterogênicas: redução de triglicérides, inibição de migração e proliferação de células musculares lisas, redução de citocinas e moléculas de adesão;
· Antiarrítmicas: influência sobre canais iônicos, aumento no limiar para fibrilação ventricular, fluidez de membrana e redução de dano isquêmico;
· Vasoprotetoras: melhora da função endotelial, modulação da interação receptor-agonista, redução da pressão arterial, redução de dano em órgão-alvo.

Tags: , , , , , ,


Veja Também: