Saúde através das plantas – GUAÇATONGA (Casearia sylvestris)

Categoria(s): Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios Inflamatórios, Medicina das plantas, Sexualidade e DST


Saúde através das plantas – GUAÇATONGA (Casearia sylvestris)


Casearia sylvestris

Conhecida popularmente como café-bravo, carvalhinho, café-do-brejo, erva-de-bugre.

Possui propriedades antisséptica, cicatrizante, antimicrobiana, fungicida, calmante, sudorífera,  diurética, estimulante do sistema circulatório, afrodisíaca, anestesiante, antiespasmódica, antihemorrágica, antirreumática, e imunoestimulante.

A guaçatonga pode ser usada em hemorragias leves, picada de inseto, micoses, prurido, úlcera gástrica e feridas. É eficaz no combate a aftas, sapinho e herpes simples. Em odontologia pode ser utilizada para gengivite e antitártaro.

Contra Indicação – Em gestantes ou mulheres em fase de lactação devem evitar o uso de guaçatonga. Esta planta medicinal estimula as contrações uterinas podendo causar um aborto espontâneo.

Tags: , , , , , , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Policitemia vera – Quais os sintomas?

Categoria(s): Distúrbios cardiocirculatórios, Distúrbios hematológicos


Manifestações clínicas

Após longo período sem nenhum sintoma, os pacientes podem apresentar cefaléia, prurido, dispnéia, hipertensão, gota úrica e úlcera péptica (5% a 10% dos casos). Durante o curso da doença, é comum a ocorrência de tromboses, devido ao aumento da viscosidade sanguínea, da estase sanguínea vascular* e da plaquetose (aumento das plaquetas). O infarto miocárdico, pulmonar e cerebral e as tromboses periféricas são freqüentes, podendo atingir, em alguns estudos, 30% a 40%. Essas ocorrências se devem a tromboses em artérias de médio e pequeno calibre, sendo maior nos pacientes tratados somente com flebotomias (retirada de sangue). As tromboses em artérias de grande calibre e as alterações na função e no débito cardíaco são eventos raros.

Os pacientes com policitemia vera apresentam elevada incidência de oclusão coronária; porém, como a faixa etária preferencial é dos idosos, a maioria desses pacientes já apresenta doença aterosclerótica de base. A causa mais freqüente de mortalidade, nessa doença, não é a trombose vascular decorrente da elevação da massa eritrocitária, mas decorrente da presença de história anterior de trombose, em pacientes com mais de 70 anos. A relação entre risco de trombose e idade sugere, nos pacientes com policitemia vera, que o fator vascular é fundamental para que esses eventos ocorram. Em pacientes mais jovens, essa concomitância deve-se ao hábito de fumar. Além disso, há correlação direta entre nível elevado do hematócrito e desenvolvimento de episódios trombóticos. Outra possível complicação da policitemia vera é a presença de hemorragias devido às anormalidades funcionais de plaquetas.

Estase sanguínea vascular – O sangue flui muito lentamente, quase parado no interior do vaso, propiciando a formação de coagulos (trombos).

Na evolução de longo prazo, pode haver uma fase de redução das flebotomias, com relativa diminuição da atividade da doença. Posteriormente, pode haver uma fase de exaustão da medula óssea, onde o paciente passa a ter anemia e plaquetopenia, que pode ser acompanhada de sintomas sistêmicos de febre, perda de peso e sudorese noturna.

Tags: , , , , , , , , ,


Veja Também:

Comments (20)     Envio por Email Envio por Email


Urticária – O que é?

Categoria(s): Dicionário, Distúrbios da pele, Distúrbios Inflamatórios


Dicionário

A urticária é uma doença comum que acometem 20% das pessoas em alguma fase da vida, sendo facilmente reconhecidas pelas pessoas e pelos médicos. Entretanto é altamente complexa quanto as manifestações clínicas e a terapia empregada.

urticáriaA urticária consiste em lesões avermelhadas e elevadas (eritemato-papulosas), isoladas ou agrupadas, fugazes, geralmente circulares, podendo variar em forma e tamanho. As lesões são conseqüentes à vasodilatação e ao inchaço da derme, estando geralmente associadas com prurido intenso (figura ao lado).

Na forma aguda, os episódios duram de poucos dias até seis semanas, sendo o fator causal identificado nas maiorias das vezes. Pode ocorre outros sintomas como falta de ar (dispnéia), chiado no peito (sibilância), edema de laringe ou hipotensão arterial. Na forma crônica, as lesões estão presentes diariamente ou quase diariamente, permanecem menos de 24 horas, durando mais de 6 semanas. O agente causal não é encontrado.

Baseado no aspecto da lesão, surgem alguns diagnósticos diferenciais, como as lesões causadas por picadas de insetos, a urticária-vasculite*, os eczemas (dermatites espongióticas) e sobre tudo a forma aguda da dermatite de contato.

Lesões eritemato-papulosas – São lesões da pele que aparecem em inúmeros tipos de doenças de pele. O termo eritema signfica vermelhor e o termo pápula significa área elevada da pele com limites nítidos da pele sadia.

* urticária-vasculite é uma condição associada a doença reumática (colagenose), cuja diferenciação clínica com as urticárias se faz pela persistência das lesões e aspecto de coloração escurecida quando crônica.

Referências:

Soter NA – Acute and chronic urticaira and angioedema. J Am Acad Dermatol 1991;25:146-154.

França AT – Urticária e Angioedema: Diagnóstico e Tratamento; Rio de Janeiro,Editora Revinter 2000.p.117

Tags: , ,


Veja Também:

Comments (1)     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 3123