Herpes-zoster – Como diagnosticar?

Categoria(s): Distúrbios Inflamatórios, Infectologia


Diagnóstico

herpes

O diagnóstico é basicamente clínico. Lesões vesicobolhosas agrupadas sobre base eritematosa, seguindo trajeto de nervos, unilaterais. Pode ser feito por cultura de tecidos.

Quadro Clínico

O Herpes-zoster tem um período de incubação de 7 a 12 dias, o início é rápido e com manifestações cutâneas características por vesículas agrupadas seguindo o trajeto de um nervo, unilateral, acompanhada ou precedida de dor neural e febre. Os dermátomos (são as áreas da pele inervadas por fibras provenientes de uma única raiz nervosa) mais acometidos são os: torácicos (55%), cranianos (20%), lombares (15%) e sacrais (5%).

Na face o ramo oftálmico do nervo trigêmio é o mais acometido, podendo levar a cegueira devido a possível queratite. O envolvimento dos ramos maxilar e mandibular pode expressar-se com lesões osteolíticas e dentárias.

As manifestações motoras podem localizar-se na face, como na Síndrome de Remsay-Hunt, com as características vesículas cutâneas no conduto auditivo (zoster octicus), e paralisia ipsilateral do tipo infranuclear.

Tags: , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Cancróide ou Cancro mole – O que é?

Categoria(s): Infectologia, Sexualidade e DST


Dicionário

O cancro mole ou cancróide é uma lesão ulcerada genital causada por uma infecção pelo Haemophilus ducreyi, e surge de uma mácula inflamatória, que logo evolui para uma vesícula-pústula e em seguida para úlcera de bordas bem delimitadas e eritematosas, com aspecto clássico de “bordas cortadas à pique” e o fundo da lesão é úmido com material necrótico. O cancro mole tem alta capacidade de auto-inoculação, ou seja passar para várias regiões do corpo da própria pessoa.

O diagnóstico é feito pelo aspecto da lesão. A confirmação pelo exame bacterioscópico de esfregaço corado pela técnica de Gram.

Tratamento

O tratamento do cancro mole é feito com:
· Azitromicina, ou
· Ceftriaxona, ou
· Ciprofloxacino, ou
· Estearato de eritromicina.

A QUEM CONSULTAR – O especialista que trata deste tipo de lesão é o infectologista, ou o ginecologista ou o urologista.

Tags: , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Doença da pele: Vesícula – Como é o tipo da lesão?

Categoria(s): Dicionário, Distúrbios da pele, Distúrbios Inflamatórios, Infectologia


Aspecto dermatológico

herpes

Vesícula é uma coleção superficial de líquido seroso, sem natureza purulenta, com menos de 0,5 cm de diâmetro. Pode evoluir para pústula se houver infecção bacteriana sobre ela, como ocorre na varicela.

Quando localizada na região dos lábios pode sugerir herpes simples. No caso do herpes zoster (figura) a lesão inicial das vesículas seguem o trajevo do nervo cutâneo (metâmero) permitindo o diagnóstico  clínico. Lesões vesicobolhosas agrupadas sobre base eritematosa, seguindo trajeto de nervos, unilaterais.

Quadro Clínico

O Herpes-zoster tem um período de incubação de 7 a 12 dias, o início é rápido e com manifestações cutâneas características por vesículas agrupadas seguindo o trajeto de um nervo, unilateral, acompanhada ou precedida de dor neural e febre. Os dermátomos (são as áreas da pele inervadas por fibras provenientes de uma única raiz nervosa) mais acometidos são os: torácicos (55%), cranianos (20%), lombares (15%) e sacrais (5%).

Na face o ramo oftálmico do nervo trigêmio é o mais acometido, podendo levar a cegueira devido a possível queratite. O envolvimento dos ramos maxilar e mandibular pode expressar-se com lesões osteolíticas e dentárias.

Outras doenças se apresentam com vesículas, como: varicela, impetigo, escabiose e dermatite herpetiforme.

Tags: , , , , ,


Veja Também:

Comentários     Envio por Email Envio por Email


Page 1 of 212